Santa Teresa de Jesus dos Andes — 12 de Abril

0

Por Olívia Rodrigues

Joana nasceu, a 13 de Julho de 1900, em Santiago do Chile, no seio de uma família cristã, bem sucedida na vida e numerosa.

Era uma criança viva e inteligente: mas muito orgulhosa, egoísta e teimosa; atributos que, lhe dificultavam a vida, sobretudo, nas brincadeiras com os cinco irmãos e os amigos, que por vezes desesperavam com tanta prepotência. Quanto aos estudos: frequentou o internato das Irmãs francesas do Sagrado Coração, onde foi aluna exemplar, deixando boas recordações quer em colegas, quer no corpo docente.

A estadia, num colégio católico, inverteu a tendência do seu carácter irascível, tornando-se mais meiga, mais tolerante para com todos, mais generosa e a interiorizar, conscientemente, os princípios evangélicos. A cuidadosa preparação, de que foi alvo, para receber a primeira comunhão, aos dez anos de idade, tornou-se no ponto de partida para uma vida, totalmente, dedicada a Deus.

Juanita, como a tratavam, já não parecia a mesma: preocupava-se com os problemas e com o bem-estar, especialmente, daqueles que, serviam a sua casa; catequizava as crianças, na paróquia; acompanhava os doentes; apoiava os pobres e havia decidido seguir a vida religiosa como carmelita descalça. O Senhor, com quem tinha colóquios frequentes, assim lho indicara; ela preparava-se para a santidade através: da oração frequente; da meditação regular; da leitura diária da Bíblia e da devoção ao Santíssimo Sacramento, à Eucaristia e à Imaculada Conceição de Maria, em cuja festa, do ano de 1915, fez, pela primeira vez, voto de castidade.

O período de tempo decorrido entre a sua predisposição para as coisas divinas e a entrada no convento, não foi fácil: pois não se escapou aos momentos menos agradáveis, às más vontades, às incompreensões e aos ataques à sua própria dignidade, mas tudo aceitou pelo enorme amor que dispensava ao Criador.

Entrou no Carmelo do Espírito Santo, nos Andes, a 7 de Maio de 1919, onde iniciou o noviciado com o nome de Teresa de Jesus mas, não concluiu este tempo de preparação pois, atacada de tifo, faleceu, no dia 12 de Abril de 1920, depois de ter feito a profissão religiosa em artigo de morte, a 7 de Abril. A partida para o Pai realizou-se quando lhe faltavam seis meses para terminar o noviciado canónico e, três meses, para completar vinte anos de vida.

Os seus restos mortais estão depositados no Santuário de Nossa Senhora do Carmo, em Auco-Rinconada dos Andes, construído, propositadamente, em 1988, a fim de albergar os milhares de peregrinos que, anualmente, se deslocam ao seu túmulo para a venerarem.

Teresa de Jesus dos Andes, a primeira santa chilena, foi beatificada por São João Paulo II, a 3 de Abril de 1987, em celebração campal no Parque O´Higgins de Santiago do Chile, durante a Visita Apostólica que aquele Pontífice fez ao Uruguai, ao Chile e à Argentina de 31 de Março a 12 de Abril de 1987; depois foi também canonizada por ele, em Roma, a 21 de Março de 1993, e proclamada padroeira dos jovens da América Latina.

Esta jovem, uma das intercessoras das Jornadas Mundiais da Juventude do Rio de Janeiro de 2013, não nos deixou, ao morrer, obras materiais, mas sim o exemplo de que com uma vida simples, mas centrada no amor de Deus se trilha, com certeza, o caminho da salvação.