Grécia. Nos campos sobrelotados de refugiados, “rezam à espera que o vírus não chegue

0

“Medidas de contenção da Covid-19 já chegaram aos campos de refugiados da Grécia, mas o difícil acesso a água e a cuidados de saúde tornam a população extremamente vulnerável.

“Não encontro palavras para descrever o que pode acontecer se houver um surto de coronavírus nos campos”. A frase resume o estado de vários campos de refu- giados na Grécia e de como não estão preparados para o impacto da Covid-19. E a frase é dita Apostolos Veizis, diretor de operações da Médicos Sem Fronteiras da Grécia (MSF), que tenta explicar o cenário ao Observador: sem espaço, com difícil acesso a sabão e à água, como podem mais de 40 mil requerentes de asilo proteger-se de uma pandemia global?