José Saramago — Um ateu em busca de «Um Deus Conhecido»

0

Um homem de fé nas palavras, para o qual a vida nunca lhe foi fácil. Desde muito jovem revelou interesse pelos estudos e pela cultura, mas dificuldades económicas impediram-no de frequentar o liceu e consequente universidade, formou-se então numa escola técnica e dada a exigência dos tempos que impunham trabalhar para comer teve de se fazer à vida e o seu primeiro emprego foi como serralheiro mecânico.

Foi um lutador, um bom observador, atento e perspicaz, inteligente, com ânsias de saber, fascinado pelos livros, visitava, à noite, com grande frequência, Bibliotecas Municipais. Fez-se por si próprio um homem de letras, ou como então se usava dizer, foi um autodidata, designação sempre muito lisonjeante.

O resto deste conteúdo é reservado a Assinantes. Por favor faça . Ainda não é Assinante? Torne-se Assinante!