Papa defende estilos de vida sustentáveis, perante «emergência climática»

0

O Papa apelou no Vaticano à adoção de estilos de vida mais sustentáveis, perante o que denominou como “emergência climática”.

“Hoje acontece o Dia Mundial de Oração pela Criação, uma oração ecuménica que procura a tomada de consciência e o compromisso para tutelar a nossa casa comum, a partir de um estilo de vida pessoal e familiar mais sustentável”, declarou, após a recitação dominical da oração do ângelus.

Neste mesmo dia, o Papa divulgou uma mensagem, pelo V Dia Mundial de Oração pela Criação, destacando a próxima Cimeira das Nações Unidas para a Ação Climática.

“Os Governos deverão mostrar vontade política de acelerar, drasticamente, as medidas para se alcançar o mais rápido possível o nível zero de emissões de gases com efeito estufa e conter o aumento médio da temperatura global em 1,5°C relativamente aos níveis pré-industriais, em consonância com os objetivos do Acordo de Paris”, pontou.

O pontífice observou ainda que, no próximo mês de outubro, “a Amazónia – cuja integridade se encontra gravemente ameaçada – estará no centro da atenção duma Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos”.

“Aproveitemos estas oportunidades para responder ao clamor dos pobres e da terra”, apelou.

O texto, divulgado pela sala de imprensa da Santa Sé, insistiu na necessidade de novos estilos de vida, “mais simples e respeitadores”.

“É hora de abandonar a dependência dos combustíveis fósseis, empreendendo rápida e decididamente transições para formas de energia limpa e de economia sustentável e circular. E não esqueçamos de ouvir as populações indígenas, cuja sabedoria secular nos pode ensinar a viver melhor a relação com o meio ambiente”.

Francisco realça que a degradação aumentou nas últimas décadas: “a poluição constante, o uso incessante de combustíveis fósseis, a exploração agrícola intensiva, a prática de abater as florestas, estão a elevar as temperaturas globais para níveis preocupantes”.

“Criamos uma emergência climática, que ameaça gravemente a natureza e a vida, inclusive a nossa”, denuncia.

O Papa convida todos os católicos a “dedicar-se à oração neste tempo que, partindo duma iniciativa oportunamente nascida em campo ecuménico, se configurou como Tempo da Criação: um período de oração mais intensa e de ação em benefício da casa comum, que tem início a 1 de setembro, Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, e termina a 4 de outubro, memória de São Francisco de Assis”.

“Sintamo-nos em sintonia profunda também com os homens e mulheres de boa vontade, conjuntamente chamados, no contexto da crise ecológica que tem a ver com todos, a promover a salvaguarda da rede da vida, de que fazemos parte”, escreve.