Olá meu querido,

0

Sabes decerto, amor, que existiu um poeta que escreveu que todas as cartas de amor são ridículas. Talvez. Pois eu sou ridícula! Tenho escrito tantas…

Ridícula quando conjecturo sobre o que fomos no passado e o que somos no presente. No passado distante, jovens e apaixonados, navegámos em ondas alterosas, teimosas e quentes, muito quentes. Soltámos gritos ao vento e fizemos amor à sombra dos pinheiros e sobre o dourado do areal. No jardim, em casa, aqui e ali…

O resto deste conteúdo é reservado a Assinantes. Por favor faça . Ainda não é Assinante? Torne-se Assinante!