Beata Tarcísia Olga Mackiv — 18 de Julho

0

Por Olívia Rodrigues

Olga nasceu, em Khodoriv, Ucrânia, a 23 de Março de 1919, sendo a primogénita de quatro filhos de uma família católica.

Recebeu, tal como os irmãos, uma boa educação cristã; quanto à formação académica: concluiu o seu curso de professora de corte e costura, em Junho de 1937; durante este tempo, foi-se desenvolvendo nela, o desejo de se consagrar ao Senhor.

Ingressou no Instituto das Irmãs Servas de Maria Imaculada, a 3 de Março de 1938, mesmo contra a vontade de sua mãe que, precisava dela para o apoio à família. Quanto ao pai aceitou, de imediato, a vocação da filha, considerando-a, mesmo, como uma enorme bênção do Céu.

Em 4 de Novembro de 1938, iniciou o noviciado, adoptando o nome de Irmã Tarcísia e, em 5 de Novembro de 1940, fez os primeiros votos: nesta altura passou a ser professora de corte e de costura e responsável pela oficina respectiva, colaborando, desta forma, para a formação de jovens e de mulheres, uma das funções para a qual a Congregação tinha sido instituída, em 1892, pelos Padres Basilianos, assim como para o tratamento e acompanhamento de crianças e doentes e formação catequética de todos.
Exerceu vários ministérios e foi, como prioresa que, na tarde, de 17 de Julho de 1944, os soldados bolcheviques a encontraram quando invadiram o mosteiro.

Ao toque da campainha, várias religiosas tentaram abrir a porta com o intuito de defenderem as restantes companheiras mas, a Irmã Tarcísia conseguiu a chave. Elas já esperavam por aquilo: estava-se em plena Segunda Guerra Mundial e a Rússia sob o regime comunista. Além disso, a superiora havia feito, perante o seu director espiritual e em privado, o voto de oferecer a sua vida pela conversão da Rússia e pelo triunfo da Igreja de Cristo.

Ela foi a primeira a ser atingida pelas rajadas das metralhadoras, as outras religiosas foram mortas ou detidas. No convento, os invasores não encontraram nada do que pretendiam mas, descarregaram a sua enorme raiva sobre aquelas vidas inocentes.

A alegre, a atenciosa, a gentil e a generosa Irmã Tarcísia Mackiv partiu para o Pai com, apenas, vinte e cinco anos de idade e seis anos de vida consagrada, totalmente dedicada ao serviço dos outros e à oração e contemplação; o Senhor, de certeza, aceitou com agrado, o seu sacrifício e por seu intermédio, envia muitas bênçãos aos numerosos devotos.
Durante a visita pastoral que, o Papa São João Paulo II fez à Ucrânia, a 27 de Julho de 2001, beatificou esta mártir, assim como outras vinte e quatro vítimas ucranianas do regime soviético.