Marcelo: Portugal não pode “minimizar cansaço, corrupções, falências na justiça”

0

Marcelo Rebelo de Sousa apelou à necessidade de “acordar para os portugais esquecidos” do interior do país e ao “valor de um compromisso acrescido para estes portugueses e portuguesas que não renunciam a ser cidadãos de primeira, tão de primeira como os que nasceram nas metrópoles onde mais depressa têm as suas sedes os poderes públicos”. O Presidente da República discursava em Portalegre, no âmbito das comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades portuguesas, e assentou a tónica das suas palavras na importância de um Portugal mais justo, mas no qual não sejam esquecidos os erros do passado. “Quando somos muito bons, somos dos melhores dos melhores”, mas “não podemos apagar os erros” nem “minimizar cansaço, corrupções, falências na justiça”, exigindo sempre “maior seriedade”.