O fim do bloco central europeu não é o fim da Europa

0

A polarização entre nacionalistas e europeístas levou as pessoas a votar e a participação geral subiu pela primeira vez desde 1994, prevendo-se que possa ficar acima de 50%. Os Verdes/Aliança Livre Europeia foram os grandes vencedores da votação europeia, podendo chegar a ter mais 20 deputados do que na legislatura anterior.

Não só ganham estatuto de força a ter de ser doravante reconhecida — e reconheceram a “confiança política” dada pelos eleitores e vários Estados-membros — como passam a ter um papel importante na formação de futuras alianças entre os partidos pró-europeus que possam vir a sair da votação final.

A extrema-direita subiu, porém não dominou como se temia..