São Francisco Spinelli — 6 de Fevereiro

0

Por Olívia Rodrigues

Francisco nasceu, a 14 de Abril de 1853, em Milão, Itália, numa humilde família, muito caridosa e empenhada na sua educação.

Nas horas, livres que a escola lhe deixava, ajudava os pais, brincava com as outras crianças suas amigas, especialmente, fazendo representações com fantoches e, acompanhando a mãe nas visitas aos mais pobres e doentes, nascendo, assim nele, o desejo de vir a ser padre, contrariamente, ao objectivo do pai que, pretendia vê-lo médico.

Embora não seguisse medicina, também não se afastou muito: tornou-se num médico de almas e os progenitores sempre apoiaram a sua decisão. Frequentou o Seminário de Bérgamo, sendo ordenado sacerdote em 1875, partindo, pouco tempo depois, em peregrinação para Roma.

Durante a permanência na Cidade Eterna, percebeu que o Senhor o convidava a fundar uma congregação religiosa com o intuito da adoração perpétua ao Santíssimo Sacramento. Era ainda muito novo, tinha tempo para pensar como pôr de pé tal projecto. Não se sobressaltou, Deus havia de providenciar. Até 1882, ano em que o instituto surgiu, o Padre Francisco Spinelli deu aulas em Bérgamo, no seminário e colégios, orientou várias comunidades religiosas femininas e exerceu o apostolado entre os mais pobres e doentes.

Entretanto, conheceu Catarina Comensoli, de quem foi director espiritual e, que desejava ingressar numa congregação orientada para a adoração perpétua. Com ela fundou o Instituto das Irmãs da Adoração.

A obra, muito necessária na época, difundiu-se por vários lugares mas atravessou tempos de crise profunda: os bens foram-lhe confiscados e os dois fundadores também não se entendiam completamente quanto à sua finalidade; a Irmã Gertrudes do Santíssimo Sacramento – nome que, Catarina adoptou como religiosa – pretendia-a mais voltada para a adoração, ao passo que o Padre Spinelli a queria mais vocacionada para as obras sociais. Por outro lado, o presbítero foi transferido para Cremona, facto que, o obrigou a deixar a orientação daquele Instituto.

Neste contexto, o Padre Francisco Spinelli fundou a Congregação das Irmãs Adoradoras do Santíssimo Sacramento com os intuitos da adoração perpétua ao Santíssimo Sacramento e acolher os irmãos pobres e os doentes mentais, trabalho tão necessário desenvolver na aldeia de Rivolta, onde se radicou.

Naquela localidade, isenta de quase tudo, criou escolas e creches, incentivou a assistência aos doentes, sobretudo os mentais, aos pobres, aos desprotegidos e aos idosos. Passado algum tempo Rivolta tinha renascido, era um povoado feliz.

Este grande homem tudo fazia para ver toda aquela gente satisfeita e, grande adepto das actividades lúdicas, como terapia, organizava-as frequentemente; ali não faltava o teatro de fantoches, o seu preferido e para o qual tanta queda tinha.

Francisco Spinelli foi um herói de olhos bem-postos no Senhor, tendo como força a Divina Eucaristia. O seu percurso na terra acabou, no dia 6 de Fevereiro de 1913. Esta morte foi muito sentida, pois era considerado santo por todo o bem que soube espalhar. Os seus restos mortais estão depositados em Cremona, na Casa-Mãe da congregação por ele fundada.

São João Paulo II beatificou este gigante da fé, no dia 21 de Junho de 1992, e Sua Santidade o Papa Francisco canonizou-o, em Roma, a 14 de Outubro de 2018.