Espírito Santo — Paráclito do Senhor (Parte 2)

0

Temas Bíblicos

4. MATEUS, LUCAS E JOÃO DÃO ESPECIAL ÊNFASE AO MODO COMO O ESPÍRITO SANTO ACTUA NA IGREJA DEPOIS DA MORTE DE JESUS. EM MATEUS, OS APÓSTOLOS RECEBEM DE JESUS RESSUSCITADO A INCUMBÊNCIA DE “ENSINAR TODAS AS NAÇÕES, BAPTIZANDO EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO” (Mt.28,19).EM LUCAS, OS APÓSTOLOS RECEBEM INSTRUCÇÕES PARA FICAR EM JERUSALÉM ATÉ “SERDES REVESTIDOS COM A FORÇA DO ALTO” (Lc24,49). A HISTÓRIA PROSSEGUE NO LIVRO DS ACTOS QUANDO, NO DIA DE PENTECOSTES “TODOS FICARAM CHEIOS DO ESPÍRITO SANTO E COMEÇARAM A FALAR OUTRAS LÍNGUAS, CONFORME O ESPÍRITO SANTO LHES INSPIRAVA QUE SE EXPRIMISSEM. (ACT 2,4).
Em todo o Livro dos Actos dos Apóstolos, é o Espírito Santo quem guia o crescimento da Igreja. Assim, os heróis da fé são definidos na história da Igreja do modo como o foram na história de Israel, como indivíduos cuja capacidade para conduzir a comunidade se baseia no poder que lhes confere o Espírito Santo. Nos Actos, o Espírito Santo funciona, além disso, como uma personagem distinta que modela os acontecimentos de acordo com a vontade de Deus. Assim, o Espírito Santo guia Filipe para o eunuco etíope e Pedro aos gentios, nomeia Paulo e Barnabé evangelizadores, e mais tarde impede Paulo de entrar na Bitínia. No seu Evangelho, João apresenta uma outra dimensão do Espírito Santo: “recebei o Espírito Santo (Jo.20,22) diz Jesus Ressuscitado aos Seus discípulos, antes de partir”. Anteriormente, João esclarecera como isto podia acontecer, dando ao Espírito Santo um outro nome: PARÁCLITO. Na sua última e extensa conversa com os discípulos, Jesus fez notar que o Paráclito “ensinar-vos-á todas as coisas, testificará de Mim e guiar-vos-á para a verdade total” (João,14-26).

5. NO SEU EVANGELHO, JOÃO APRESENTA UMA OUTRA DIMENSÃO DO ESPÍRITO SANTO “RECEBEI O ESPÍRITO SANTO (JO. 20,22) DIZ JESUS AOS SEUS DISCÍPULOS,LOGO APÓS A RESSURREIÇÃO. ANTERIORMENTE, JOÃO ESCLARECERA COMO ISTO PODIA ACONTECER, DANDO AO ESPÍRITO SANTO UMA NOVA DESIGNAÇÃO “CONSOLADOR”. NA SUA ÚLTIMA E EXTENSA CONVERSA COM OS DISCÍPULOS, JESUS FEZ NOTAR QUE O “CONSELHEIRO” ENSINAR-VOS-À TODAS AS COISAS, TESTIFICARA DE MIM E GUIAR-VOS-Á PARA A VERDADE TOTAL” (JOÃO 14,26). A IGREJA CONTINUARIA A SER INSPIRADA E OPERANTE SOB A AUTORIDADE DE JESUS ATRAVÉS DO ESPÍRITO SANTO. NOS ESCRITOS DE PAULO, A BASE DA VIDA MORAL É O ESPÍRITO SANTO, POIS OS CRISTÃOS SÃO EXORTADOS A ANDAR “SEGUNDO O ESPÍRITO… PORQUE OS FRUTOS DO ESPÍRITO, SÃO: A CARIDADE, ALEGRIA, PAZ, BENIGNIDADE, BONDADE, FIDELIDADE MANSIDÃO, TEMPERANÇA (GL 5,16,22-23). PAULO ACONSELHAVA OS ROMANOS: “SE O ESPÍRITO HABITA EM VÓS, ELE QUE RESSUSCITOU CRISTO DOS MORTOS, HÁ-DE DAR IGUALMENTE A VIDA AOS VOSSOS CORPOS MORTAIS (RM 8,11)
Além disso, a presença do Espírito Santo proporcionava uma intensa experiência de Deus, permitindo que o crente O tratasse afetuosamente por “ABBÁ”, Pai (Rm 8,15). Paulo escreveu a Timóteo: “exorte-te a que reanimes o dom que Deus te concedeu pela imposição das minhas mãos” (2 Tim.1,6)

6. O VENTO SOPRA ONDE QUER E OUVE-SE A SUA VOZ, MAS NÃO SE SABE DE ONDE VEM NEM PARA ONDE VAI. ASSIM, ACONTECE COM TODO AQUELE QUE NASCEU DO ESPÍRITO” (João 3,8) “O VENTO SOPRA”, QUER DIZER O ESPÍRITO COMUNICA, AGE, RENOVA, RECRIA” O SOPRO, SIMBOLIZA NA LINGUAGEM DE JESUS, A COMUNICAÇÃO DA VIDA E DE TODA A ENERGIA QUE A VIDA CONTÉM.
A “voz” do vento (do Espírito) é ouvida, mas não é controlável. A vida teológica é dada ao homem gratuitamente pelos Desígnios Eternos do Pai e é acolhida, passivamente, embora o acolhimento suponha a livre disponibilidade do homem. Mas a Criação de Deus não É controlável pelo esforço pessoal que mais não pode do que predispor o crente para o livre acolhimento do dom. Juntamente com o Espírito Santo e com manifestações suas, são infundidas no homem os Seus Dons Salvíficos.

Bibliografia: Osservatório Romano