Um dilema português: muita hora de trabalho, pouca produtividade, presentismo e a família é que paga

0

E-mails e telefonemas recebidos fora das horas de trabalho, reuniões tardias, dificuldade em faltar em caso de doença, horários rígidos e sem flexibilidade para levar o filho à escola ou dar assistência a um familiar fazem parte da vida da maioria dos trabalhadores. Somos um dos países europeus com menor produtividade por hora de trabalho, mas um dos que trabalham maior número de horas e onde mais pessoas (29%) admitem não conseguir conciliar bem o emprego e a família. As boas práticas nas empresas até já começaram a aparecer, mas ainda são uma minoria.

POREXPRESSO