Nicarágua pede à UE e organismos internacionais que investiguem violência

0

A Nicarágua pediu à União Europeia e a organismos internacionais de direitos humanos para investigarem as quase 200 mortes ocorridas nos protestos contra o Governo, num passo para retomar o diálogo no país.

A Nicarágua vive há dois meses a crise mais sangrenta das últimas décadas, com protestos e confrontos que causaram mais de 180 mortos e mais de 1.300 feridos. Daniel Ortega e a mulher e vice-Presidente nicaraguense, Rosario Murillo, são acusados de corrupção e abuso de poder, tendo os manifestantes exigido que o casal abandone o poder, que ocupa há 11 anos.